Instituto Jonia Ranali

Instituto Jonia Ranali
Instituto Jonia Ranali

sábado, 20 de abril de 2013

UMA NOVA E MODERNA PSICANÁLISE



A "minha ciência", a Psicanálise, é por mim extremamente amada e respeitada, pois através dela consigo fazer muitas curas, parciais, se os paciente não querem ou preferem não ir "até o fundo do tacho" para resolver todos os seus problemas emocionais, e curas totais se a isto eles se propuserem.
A Psicanálise passou por várias fases ou etapas, e vou enumerá-las com alguns detalhes.
Imaginem uma árvore. Ela sempre terá um tronco, e nesse caso essa parte da árvore compreendida entre a raiz e os ramos, foi Sigmund Freud, seu ilustre criador.
Depois tivemos uma segunda geração, com muitos e bons psicanalistas, alguns até da mesma geração de Freud, mas os que mais se destacaram foram Melanie Klein, Jacques-Marie Lacan, Anna Freud, Wilfred Ruprecht Bion e Donald Woods Winnicott que complementaram a nossa ciência com maravilhosos tesouros, tanto na parte de aprofundamentos teóricos, como na parte da psicanálise infantil.
E após isso nossa ciência foi agraciada com as contribuições da terceira geração, com muitos teóricos, observadores e magnânimas criaturas humanas que perceberam que nossas emoções começam a existir no momento da concepção e trataram de pesquisar e aprender como colocar métodos, exemplos e vivências para que os conceptos, depois embriões e após o terceiro mes fetos, já estivessem sendo recebidos com atuais e prósperas maneiras de tratamento.
Isso simplesmente foi uma glória, diminuindo a mortandade infantil, sofrimentos  para os pais, e uma maior, muito maior consciência do respeito que se deve ter a esses tão pequeninos seres, quase todos ainda em formação, mas já gravando um número enorme de formas de sofrimentos.
Eu também percebi, ao início de minha carreira, que meus primeiros pacientes mostravam na fala, nas não realizações, nos problemas apresentados que suas mazelas emocionais dentro do ventre da mãe haviam sido criadas e reforçadas para desespero desses pequeninos seres, que com esses materiais não sabiam lidar, e nem percebiam de onde procediam.
E, no intuito de ajudar, de dar a minha contribuição, estou lançando o livro "Você consegue mudar o mundo", em breve nas livrarias.
Mas, num solavanco, numa explosão de buscas que sempre nortearam a minha existência, fui buscar em outros setores, alguns já muito familiares a mim desde muitos anos novos, ainda, caminhos que fizessem crescer mais a minha ciência e a ajuda que podemos dar aos que dela querem se beneficiar, e consegui juntar, o que, inicialmente posso chamar de Nova Psicanálise, pois com meus pacientes estou trabalhando a parte energética, que se mal estruturada ou mais ainda sem conhecimento pelos mesmos pode causar perdas, danos, comprometimentos e até mortes, que serão consideradas, nesses casos como suicídios ou homicídios inconscientes.
E mais, pelo menos até o momento: com maravilhosos cursos de terapia regressiva, que somados à minha experiência me permitem ir até à outras vidas dos pacientes,  dentro do tratamento psicanalítico, o que elucida seus relacionamentos tumultuados com seres de sua atual existência, família, e também sobre suas não realizações, o tratamento psicanalítico ficou mais rápido, muito, muito, muito mais seguro e completo, me trazendo a mais total realização como psicanalista e um bem estar sensacional aos meus pacientes e ao ensino que faço dentro do meu Curso Livre de Formação em Psicanálise Online.
E, a todos esses grandes mestres que em breve relacionarei, espiritualmente de joelhos, digo: MUITO OBRIGADA.
JONIA RANALI

sábado, 13 de abril de 2013

Você acredita em Carma?


Esta observação que aqui hoje faço, foi-me lembrada por uma pessoa Espírita. Atentemos para as Coincidências.
Depois do choque com a tragédia do dia 27 de janeiro, com tanta dor e sofrimento das famílias, mães, pais, parentes, amigos e até de quem não conhecia nenhum jovem atingido pelo incêndio, muitas pessoas começaram a meditar à respeito.
A maioria ficou pensando e lembrando dos "Carmas Coletivos" de que tanto leem nos livros espíritas.
E começaram a tentar entender o por que desse grupo de jovens acabarem dessa maneira tão terrível, e em tão grande número - mais de 230.
Sabiam que teria uma explicação, um motivo que justificasse essa mortandade coletiva.
Mas não tinham ainda uma ideia definida. Era preciso estudar e ler mais ainda para tentar achar  respostas.
E eis que, do nada, lendo sobre os  "Dias Internacionais" que existem aos monte por aí, veio à memória de muitos que pesquisavam, a data de 27 de janeiro.
Uma data pouco conhecida para muitas pessoas.
E então pensaram:"pode ser que tenhamos encontrado a explicação" para a terrível tragédia que se abateu sobre todas aquelas famílias, vitimando mais de 230 jovens, como atrás citamos.
No dia 27 de janeiro, "comemora-se" o Dia Internacional de Memória do Holocausto. Vocês sabiam?
Depois de ouvir uma funcionária da Defesa Civil que ajudou a reconhecer os corpos no Centro  Esportivo em Santa Maria, ficou constatado que nenhum deles morreu queimado, e sim, pela inalação do gás e da fumaça tóxica que infestou o ambiente fechado e "quase sem saída"....
Foi assim que morreram os judeus naquela época, nas câmeras de gás.
Verificando os nomes dos jovens, percebeu-se que muitos deles tem seu sobrenome "alemão".
Pode ser apenas uma coincidência tudo isso, podemos estar enganadas, mas preferimos acreditar que essa tragédia não foi em vão, que eles não morreram por nada, que toda a dor dos familiares que ficaram tem um motivo e uma razão. Sabedoria da eterna Lei de Causa e Efeito, e se nisso acreditarmos, toda a compreensão das coisas, tragédias, desgraças terão para nós uma lógica explicação.

JONIA RANALI