Instituto Jonia Ranali

Instituto Jonia Ranali
Instituto Jonia Ranali

terça-feira, 27 de maio de 2014


AI, QUE VERGONHA!

Quem sofre de timidez sabe muito bem como é difícil se expressar naturalmente e tomar qualquer tipo de iniciativa. Basta enfrentar situações que exigem certa desinibição, que o coração acelera, as palavras desaparecem, o ...rosto fica vermelho e o tempo parece durar uma eternidade. Realmente quem é tímido sofre bastante no dia a dia. Mas será que existe alguma maneira de deixar alguém mais extrovertido?
A timidez é uma manifestação de temperamento caracterizada pela tendência à ansiedade. Não é uma patologia, mas sim um traço de caráter que a pessoa tem e pode ser desenvolvido durante seu processo de transformação, determinando assim a personalidade. É possível herdar geneticamente a timidez, como parte do temperamento dos pais, mas isso não é uma regra.
A timidez pode durar toda a vida, mas tende a diminuir com o passar dos anos. Algumas pessoas podem sentir vergonha em algumas ocasiões, mas não em todas, o que caracteriza a timidez situacional, como ter receio de se apresentar em público, que é algo comum para a maioria. Mas isso não impede ninguém de se relacionar normalmente com os outros.
Já o tímido crônico enfrenta obstáculos em praticamente todos os setores da vida. Tem dificuldade em fazer amigos, falar com estranhos, arrumar parceiros amorosos, enfrentar situações novas, apresentar seminários, participar de reuniões, defender seu ponto de vista, entre outros. Muitas vezes sua inibição é confundida com antipatia ou comportamento antissocial.
Não é incomum casos de crianças tímidas que se tornam adultos desinibidos. Isso ocorre porque a convivência social acaba fornecendo a habilidade necessária para lidar com diferentes situações. Mas há pessoas que continuam bem discretas e pouco falantes por toda a vida. O importante é se sentir bem, ter consciência do que se gosta ou não. Se existe algo que incomoda ou atrapalha o desempenho profissional e a vida social, vale a pena analisar mais a fundo a situação. As transformações só acontecem se a pessoa quiser.
Mas a realidade é que a timidez pode atrapalhar (e muito) a vida dos menos extrovertidos. Na maioria das, o tímido também convive com sentimentos negativos como insegurança, baixa autoestima e até depressão. Quando isso ocorre, vale a pena recorrer À AJUDA PSICANALÍTICA, POIS, É O MÉTODO MAIS EFICIENTE, JÁ QUE A TIMIDEZ É UM ASPECTO EMOCIONAL.
O tímido costuma se relacionar muito bem via internet e celular, já que se sente protegido pela máquina. Mas é necessário aprender a entrar em relações pessoais. A dica é frequentar espaços em que se sinta seguro, podendo inclusive iniciar nos espaços virtuais que tenha grupos de pessoas e posteriormente quando confiar um pouco mais nos relacionamentos frequentar clubes, praticar esportes coletivos entre outras atividades.
Vale lembrar que timidez não deve ser confundida com fobia social, um transtorno mental que se caracteriza pelo medo excessivo de ser o centro das atenções. Muitas vezes, quem sofre desse mal fica incapacitado de realizar ações consideradas normais, como comer em público, assinar um cheque, dirigir enquanto é observado. Os fóbicos podem apresentar sintomas físicos como tremores, sudorese, sensação de bolo na garganta, dificuldade para falar, mal estar abdominal, diarreia, tonteiras e falta de ar. Por ser uma doença emocional, também deve ser tratada com psicoterapia.